em Artigos

Hoje, vamos falar sobre um assunto que foi construído com base em um fator principal: a complexidade do ser humano e da vida. E foi pensando nessa visão múltipla da maneira como nos relacionamos, evoluímos e construímos as bases fundamentais para o funcionamento da vida em conjunto que o PHD Sean Esbjörn-Hargens desenvolveu sua teoria. E já que a Din4mo tem como propósito a mobilização de capitais visando o aumento do bem estar das pessoas e comunidades, nada melhor do que trazer este tema para aprofundar na busca por novas abordagens e estratégias de desenvolvimento das organizações.

Através de seus estudos, Sean nos traz uma visão dividida em alguns pontos que vamos trabalhar a seguir. Para começar, é preciso falar que o pesquisador em suas escritas e também através de sua empresa, a Metaintegral, sempre trabalha a pesquisa da união de variadas frentes a fim de se desenvolver negócios de impacto social.

Um exemplo disso é que a Metaintegral incorpora nas suas ações ferramentas ligadas ao design para solução de problemas, por exemplo. Nesse sentido, quando falamos de catalisar o crescimento de empresas com foco em uma relação sustentável, consciente, que une diferentes formas de nichos a serem impactados e variados ativos, estamos falando de uma economia metaintegral, de acordo com Sean.

E já que este é um assunto muito vasto e que rende ótimos debates e aprofundamentos, escolhemos para este artigo falar sobre um dos pontos principais da pesquisa de Sean Esbjörn-Hargens, que são os Metacapitais.

Nesta linha de pensamento, expande-se a ideia de capitais para além do capital financeiro, que é o que mais comumente ouvimos falar. Assim, surgem os 10 tipos de Metacapitais, que também podem ser entendidos como os 10 tipos de recursos que podem ser trabalhados para desenvolver iniciativas de impacto.

Assim, os 10 Metacapitais estudados por Sean são:

Capital do Conhecimento
Capital Psicológico
Capital Espiritual
Capital de Saúde
Capital Humano

Capital Manufaturado
Capital Financeiro
Capital Natural
Capital Cultural
Capital Social

E para categorizar esta divisão, a teoria concentra os 10 tipos em 4 categorias, mostrando que estes capitais podem ser agrupados ou reordenados de acordo com o contexto e com a necessidade. Você confere a seguir:

Categoria 1: Pessoas
Essa categoria foca nas questões relacionadas aos seres humanos, sendo elas internas e externas ao indivíduo:

Capital do Conhecimento
Capital Psicológico
Capital Espiritual
Capital de Saúde
Capital Humano

Categoria 2: Lucro
Se ligam à vida do indivíduo em sociedade e às questões naturais:

Capital de Saúde
Capital Humano
Capital Manufaturado
Capital Financeiro
Capital Natural

Categoria 3: Planeta
Em tal categoria, busca-se aplicar os capitais que contemplam as questões ligadas ao planeta a nível social, econômico e natural.

Capital Manufaturado
Capital Financeiro
Capital Natural
Capital Cultural
Capital Social

Categoria 4: Propósito
Aqui, esta junção se concentra no entendimento e valorização de questões mais subjetivas associadas ao indivíduo e ao planeta como um todo:

Capital Cultural
Capital Social
Capital do Conhecimento
Capital do Psicológico
Capital Espiritual

Com isso, o objetivo está no alcance de uma economia mais sustentável, regenerativa, equitativa e capaz de abranger a complexidade da vida a partir de uma abordagem integral. Para entender como isso se reflete na prática, sugerimos a leitura do Relatório de Práticas Emergentes dos negócios em resposta à crise da Covid-19 realizado em 2020 pela nossa startup investida Empresas Humanizadas.

Para saber mais sobre esse e outros temas, continue acompanhando o nosso Blog.

Postagens Recentes

Deixe um Comentário